Total de visualizações de página

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Acreditem; há ainda nesses dias, quem chame de covarde aqueles que usam esta ferramenta chamada internet para expor suas idéias e pensamentos, como se estes fossem os únicos donos da verdade.
A vocês faço um convite: Ao invés de criticar, coopere, talvez o seu comentário seja de extrema importância, tente, quem sabe. 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Paulo Junior (Pregação Forte)


Na minha opinião o único culpado é: A LIDERANÇA QUE AFROUXO POR LHES SER CONVENIENTE, e com isso as ovelhas ficaram sem cuidados pastorais, alimentos, e sem couro que serviram para o enriquecimento de muitos.




quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

ANGELOLOGIA


ANGELOLOGIA - DEMONIOS E A QUEDA DE SATANÁS

Antes de falar sobre o assunto quero esclarecer que conheço as outras teorias sobre a origem dos demônios e o fato de não expô-las aqui é porque não as defendo. Embora não as defenda, estou disposto a debatê-las nos comentários. Também quero deixar claro que esse material faz parte de uma apostila elaborada por mim para o Curso Médio em Teologia pela FAESP - Faculdade Evangélica de São Paulo. Consultei obras de Mathew Henry, Langston, Pearlman, Bancroft, Berkhof e outros. Boa leitura! 

ANJOS CAÍDOS

Os anjos foram criados perfeitos e sem pecado, como o homem, dotado de livre escolha. Sob a influência de satanás, muitos pecaram e foram lançados fora do céu (II Pe. 2.4). Segundo as Escrituras temos a ideia de que esses anjos estão, parte presos em cadeias eternas (II Pe. 2.4) e parte nos lugares celestiais (Ef. 6.12). Haverá um tempo - na grande tribulação - que eles serão expulsos dos lugares celestiais para operarem na terra (Ap. 12.9).  Um dia os salvos irão julgá-los (I Co. 6.2,3). O destino deles é o inferno (Mt. 25.41). 

DEMÔNIOS  

1 – As Escrituras dão testemunho da sua existência (Mt. 12.26-28). Os demônios são seres espirituais e chamados de espíritos imundos (Mc. 9.25). Nos Evangelhos eles aparecem possuindo corpos tanto de homens como de animais (Lc. 8.29,30; Mc. 16.9; Mc. 5.12,13). A pessoa possuída por um demônio é chamada de endemoninhado (Mt. 4.24). Quando a pessoa é possuída por muitos demônios, se diz que tem uma legião (Lc. 8.29,30).

2 - Os demônios podem ocasionar os seguintes efeitos numa pessoa:
a) loucura (Mc. 5.2-5)
b) mudez (Mt. 9.33)
c) cegueira (Mt. 12.22)
d) algumas outras enfermidades (Lc. 13.11-13).
É importante observar que nem todas as enfermidades são conseqüências de demônios.

3 - Os demônios lutam para fazer uma pessoa se desviar da fé (I Tm 4.1):
a) Eles são parte das potestades malignas que o crente tem que lutar (Ef. 6.12).
b) Eles lutam constantemente, pois são inimigos dos homens em geral, principalmente, dos crentes e desviados (Mt. 12.43-45).
c) O desviado pode ficar endemoninhado, mas o verdadeiro crente em comunhão não, porque estão cheios do Espírito Santo (II Co. 6.15,16).
d) O crente verdadeiro sofrerá sua influência se der lugar e não vigiar (Mt. 16.23; II Co. 11.3).
e) O verdadeiro crente tem poder sobre os demônios (Lc. 10.19).
f) Os demônios são expulsos em nome de Jesus (Mc. 16.17).
g) Para expulsá-los o crente precisa ter autoridade advinda da comunhão contínua com Deus, para não ficar envergonhado (At. 19.11-16).

4 - Causas do endemoninhamento:
a) Idolatria – adorar falsos deuses é o mesmo que adorar demônios (I Co. 10.19-21; Ap. 9.20).
b) Adivinhação (At. 16.16-18).
c) Praticas de encantação (At. 13.8-11).
d) Consagração aos serviços.
d) Pecados de modo geral: prostituição, drogas, álcool, etc.

SATANÁS  -  “um anjo caído”
Satanás existe? (Lc. 22.31,32).
Cristo ensinou sobre a sua existência (Mt. 13.39).

1 - Sua identidade - um ser maligno com todas as características de uma pessoa

2 - Seu serviço - fazer oposição a Deus e acusar os homens.
Ele no AT conservava um relativo acesso a Deus, para denunciar os servos de Deus (Zc. 3.1,2).
É chamado de acusador (Ap. 12.10). Ele delatou o sumo sacerdote Josué (Zc. 3.1) e pediu para cirandar com Pedro (Lc. 22.31). Vivamos pois de modo que ele não tenha de que nos acusar (Tt. 2.8; Jo. 14.30).

3 - Seu campo de atuação
Ele é chamado “príncipe deste mundo” por Jesus (Jo. 12.31; 14.30; 16.11) e “deus deste século” por Paulo (II Co. 4.4). No seu rodear a terra, quantas vítimas deve ter deixado? Adão e Eva, Caim, Saul, Judas, Ananias, etc.

4 - Sua permissão para provar Jó 1.12; 2.6. Satanás não pode tocar na vida do crente a não ser com a permissão de Deus (I Jo 5.18), pois o cristão tem a sua existência no esconderijo do altíssimo (Sl. 91; Cl. 3.3). Deus permitiu a prova de Jó, para mostrar a Satanás que o homem que confia no seu criador, pode perder todas as coisas aqui na terra, mas jamais deixa de confiar em Deus (II Tm 4.7). No caso de Pedro não houve permissão para satanás cirandar com ele (Lc. 22.31,32).

5 - O limite imposto por Deus Jó 1.12 “somente contra ele não estendas a tua mão”. Deus permitiu a Satanás destruir os bens e a família de Jó; porém, Ele fixou um limite até onde Satanás podia ir e não lhe concedeu o poder de morte sobre Jó. Satanás lançou tempestades violentas contra Jó (vv. 13-19).

6 - Estado original de Satanás: A relação figurada com o rei de Tiro (Ez. 28.12-18).

7 - Algumas características originais antes da queda (Ez. 28.12-18) - possuidor de elevada distinção e detentor de honrosos títulos e posições: 
a) Aferidor da medida - nele se encontrava a medida perfeita da criação daquilo que Deus queria.
b) Estavas no Éden, jardim de Deus - pedras preciosas representa a gloria que ele possuía antes da queda.
c) No dia em que foste criado - era um ser criado por Deus (ver. 13)
d) Querubim ungido para proteger (v. 14) - fazia parte de uma alta classe de seres angélicos. Sua função seria proteger o trono de Deus (Gn. 3.24; Sl. 80.1).

8 - Sua queda:  A queda de satanás resultou de sua própria escolha, ilustrada na lamentação pela queda do rei da Babilônia (Is. 14.11-15)

9 - Cinco afirmativas descritas em (Is 14.13,14), que revelam as pretensões de Lúcifer:
a) Eu subirei ao céu
b) Acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono
c) No monte da congregação me assentarei
d) Subirei acima das mais altas nuvens
e) Serei semelhante ao altíssimo 

10 - Personalidade de Satanás: Possui intelecto (II Co. 11.3); Ele tem emoções (Ap. 12.17); Ele tem vontade (II Tm. 2.26). 

11 - Traços da sua personalidade: Ele é homicida (Jo. 8.44); Ele é mentiroso (Jo. 8.44); Ele é um pecador costumaz (I Jo. 3.8)

12 - O diabo tem tríplice missão: matar, roubar destruir (Jo. 10.10). 

13 - Nomes e títulos pessoais:

a) Lúcifer - esse nome não aparece literalmente na Bíblia. Na linguagem figurada de Is 14.12, o nome Lúcifer aparece vinculado à expressão “filho da alva”. Em Isaias 14 lemos sobre a queda do rei da Babilônia. Em Ezequiel 28 há uma lamentação sobre o rei de Tiro. Os textos são históricos e literais, mas, nas entrelinhas deixa-se ver detalhes de que se está falando de um ser espiritual, maior que aqueles reis. Seria como Davi compondo o Salmo 22 em forma de oração e de repente percebe-se que ele não está falando de si, mas de outro: Jesus. Outro exemplo seria Isaías 53 e Atos 8. O eunuco, mordomo-mor de Candace, rainha dos etíopes, pergunta para Filipe de quem que ele (Isaías) está falando, dele mesmo ou de outro? Assim, aqui também o profeta Isaías começa a falar do rei da Babilônia e (de repente) algumas palavras vão além. De igual modo Ezequiel está fazendo uma lamentação sobre o rei de Tiro e suas palavras começam a tratar de algo supra-terreno.

O Termo Lúcifer e a Bíblia: Em Isaías 14.12, o termo hebraico "helel", pode significar: "ser luminoso", "astro brilhante"; por isso veio a ser traduzido por "luzeiro da aurora", "estrela da manhã" ou "estrela d'alva" (porque esta estrela mostra-se, ao amanhecer, mais brilhante que as outras). Por essa causa em nossas Bíblias, em língua portuguesa, constam os termos acima. Todavia a Vulgata Latina, tradução de Jerônimo, cerca de 400 d.C, traduziu "helel" por Lúcifer e assim as versões que têm a Vulgata como base, conservam a tradução do termo Lúcifer. Como é o caso, também, de algumas versões inglesas da King James.
Tradução da Vulgata Latina de Isaías 14.12:
"Quomodo cecidisti de caelo, lucifer, fili aurorae? Delectus es in terram, qui deiciebas gentes".

b) Satanás - título dado após a sua queda da presença de Deus, e significa “adversário” (Zc. 3.1; I Pe. 5.8).

c) Diabo - esse nome é uma transcrição do vocábulo gr. diabolos que significa “caluniador, acusador” (Ap. 12.10).

d) Belzebu - (Mt. 10.25; 12.24,27) - título relacionado ao deus pagão de Ecrom, por nome Baal-Zebul.

e) Abadom (hebraico) ou Apolion (grego) - tem o mesmo sentido na Bíblia e significa “destruidor”. Em Ap. 9.11 ele aparece como o anjo do abismo, identificado como Abadom ou Apolion.

14 - Representações: serpente (Ap. 12.9), dragão (Ap. 12.3), anjo de luz (II Co. 11.4).

15 - Suas limitações: ele é uma criatura e, portanto, não é: onisciente, onipresente e onipotente.
- Sua ação pode ser resistida pelo crente (Tg. 4.7).
- Deus impõe limites a ele (Jó. 1.12).

16 - Atuação de Satanás: 
a) em relação aos descrentes - ele cega o entendimento (II Co. 4.4), ele arrebata a Palavra de seus corações (Lc. 8.12) e usa homens para se oporem à Obra de Deus (II Tm. 3.8; Ap. 2.13). 
b) em relação aos crentes: ele os tenta a mentir (At. 5.3), ele os acusa e difama (Ap. 12.10), ele dificulta o seu trabalho (I Ts. 2.18), semeia o joio entre o trigo (Mt. 13. 38,39) e incita perseguições contra os crentes (Ap. 2.10). 
c) lugar de atuação – ar, terra e mar (Ap. 12.12).

17 - Trajetória de satanás: A Bíblia adverte-nos que o diabo ocupa regiões celestes, desde que foi retirado da glória do Senhor (Ef. 6.12), lugar de que deverá ser expulso no início da Grande Tribulação (Ap. 12.7-12). Aliás, a trajetória do diabo é uma seqüência de precipitações, de quedas e de fracassos.
Da glória celestial, foi precipitado às regiões celestiais, que hoje ocupa, para ser derrubado na terra e, após ter sido selado e amarrado por mil anos (Ap. 20.1,2), será, por fim, lançado no lago de fogo e enxofre (Ap. 20..10). Assim será todo aquele que, a exemplo do diabo, rebelar-se contra o senhorio de Deus!

18 - Os juízos contra Satanás: 
a) expulso de sua posição original no céu (Ez. 28.16).
b) julgamento pronunciado no éden (Gn. 3.14,15).
c) julgado na cruz (Jo. 12.31).
d) expulso dos céus na tribulação (Ap. 12.13).
e) preso no abismo no início do milênio (Ap. 20.2).
f) lançado ao lago de fogo ao fim do milênio (Ap. 20.10).
Hoje, como Igreja, temos em Cristo, poder para pisá-lo, mas em breve o esmagaremos debaixo de nossos pés (Rm. 16.20). Isso fala da vitória final que Deus nos dará sobre o mal.

Para refletir: 
- Ef. 4.27 Não devemos dar lugar ao diabo 
Dar lugar ao diabo quer dizer se conformar com a mentira e com o sistema sob seu comando. 
- I Tm. 3.6 A soberba é o pecado do diabo
“...não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo”.
Dizia Moody - Deus não dispensa ninguém de mãos vazias, a não ser que a pessoa esteja cheia de si mesmo (ego, inchado). 
Hb. 2.14 Cristo veio aniquilar o império do diabo
“E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que, pela morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo”. 
Tg. 4.7 O diabo deve ser resistido
“Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” 
I Pe. 5.8 O diabo anda como leão
Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;” 
Ap. 20.10 O diabo será lançado no lago de fogo
”E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.”

Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoe a todos.

QUINTA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2010

ANGELOLOGIA - ORGANIZAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DOS ANJOS


A ORGANIZAÇÃO DOS ANJOS

Classificação das Organizações Angelicais:

Pelos textos de Cl. 1.16 e Rm. 8.38 entendemos que as classificações neles apresentadas sugerem funções atribuídas aos anjos.

1 - TRONOS - O original grego “Thronoi” traz um sentido de anjos ligados diretamente à majestade e soberania de Deus. Em I Sm. 4.4; II Rs. 19.5; Sl. 80.1; 99.1, sugere que os querubins exerciam a função real de TRONOS.

2 - DOMÍNIOS - O original grego “Kuriother”, revela um sentido de anjos ligados à soberanias, a domínios. Teriam   eles a função especial, determinada por Deus, de dominar aquilo que Deus criou. Não encontramos que classe específica de anjo é designada para esta função. Vide Cl. 1.16; Ef. 1.21. Todavia, parece estarem entre os querubins e serafins.

3 - PRINCIPADOS - O original grego “archai”, mostra um sentido de anjos que têm poder de príncipes. A revelação bíblica a respeito não traz embasamento para afirmações convictas, mas devido a Is. 14.13; Ez. 28.16; Ap. 12.9 (sobre Lúcifer) e a Dn. 10.13 (sobre Miguel) podemos supor que os querubins tinham esta função.

4 - POTESTADES - São anjos especiais dotados de uma autoridade elevada. Possuem poderes excelentes, todavia sob o domínio do Todo Poderoso. Têm muito poder, mas não são onipotentes (Sl. 103.20; I Cr. 21.15-27).

A CLASSIFICAÇÃO DOS ANJOS

1. Anjo do Senhor
2. Arcanjo
3. Anjos eleitos
4. Anjos das nações
5. Querubins
6. Serafins

1 – Anjo do Senhor (mal`ãkh yahweh) ou Teofânico – gr. Teo + fâneo (aparecer). 

É mister fazer menção especial ao “Anjo do Senhor”, pois a maneira como é descrito na Bíblia o destinge de qualquer outro anjo. Pelas seguintes razões:

a) A ele é atribuído poder para perdoar ou reter pecado.
b) O nome de Deus esta nele (Êx. 23.20-23).
c) Em Êx. 32.34 lemos “meu anjo irá adiante de ti” em Êx. 33.14 “a minha presença” (literalmente, meu rosto). Essas duas expressões se enquadram com (Is. 63.9).
d) Jacó quando se deparou com esse anjo, se refere a Ele como sendo o próprio Deus (Gn 32.30).
e) Esse varão que lutou com Jacó é chamado de anjo em (Os. 12.4).
f) O próprio anjo se identifica como Deus (Gn. 32.28).
g) Através do encontro com esse anjo, Jacó disse “a minha alma foi salva” (Gn. 32.30).
h) Esse anjo recebe adoração (Js. 5. 14).
i) O anjo apareceu a Moisés e se identificou como o Deus de Abraão, Isaque e Jacó (Êx. 3.1-6). 

Aparecimento desse Anjo na Bíblia 

a) Para Agar no deserto (Gn. 16.7).
b) Para Abraão (Gn. 22.11-15).
c) Para Jacó (Gn. 31.11-13).
d) Para Moisés (Êx. 3.2).
e) Para todos os israelitas durante o êxodo (Êx. 14.19).
f) Para Balaão (Nm. 22.22-28).
g) Para Gideão (Jz. 6.11).
h) Para os pais de Sansão (Jz. 13.3 e13).
i) Para Davi (I Cr. 21.10).
j) Para Elias (II Rs. 1.3,4).
k) Para Daniel (Dn. 6.22).

2 - Arcanjo - É considerado anjo chefe (o prefixo “arc” significa “chefe”), príncipe, primeiro ministro.

a) A Bíblia só apresenta um arcanjo - Miguel (Jd. 9), seu nome significa ”quem é semelhante a Deus?”.
b) Miguel é o “príncipe dos filhos de Israel” (Dn. 12.1).
c) Miguel surgirá como comandante dos exércitos celestiais contra as milícias satânicas (Ap. 12.7-12).
d) O arcanjo terá sua participação na vinda de Jesus, sua voz é uma voz de comando e ordenança (I Ts. 4.16).

Gabriel, seu nome significa “o poderoso”.

Tudo indica que ele seja de uma classe de anjos bastante elevada, mas não podemos considerá-lo um arcanjo como querem algumas tradições católicas, judaicas e esotéricas, que dizem que existem sete arcanjos.

- Gabriel está diante da presença de Deus (Lc. 1.19).
- A ele é confiada mensagens da mais elevada importância com relação ao Reino de Deus (Dn. 8.16,17).

3 - Anjos das Nações (Dn. 10.13-20). Esses versículos vêm nos ensinar que cada nação tem o seu anjo protetor, o qual se interessa pelo bem estar dela.

a) Miguel, príncipe da nação hebraica (Dn. 10.21).
b) Príncipe da Pérsia (Dn. 10.13).
c) Príncipe da Grécia (Dn. 10.20). 

A palavra “principados” no Novo Testamento pode referir-se tanto a esses príncipes angélicos das nações, como a reinos com características de um principado, uma região ou uma autoridade regida por um príncipe. O termo, quando se refere a anjos, pode ser usado tanto para os bons como para os maus (Ef. 3.10; Cl. 2.15; Ef. 6.12).

4- Anjos eleitos - são aqueles anjos que permaneceram fieis a Deus durante a rebelião de satanás e foram elevados à categoria de anjos eleitos, aperfeiçoados: não podem mais pecar (I Tm.  5.21; Mt. 25.41). 

5- Querubins - esses seres angelicais aparecem pela primeira vez no Livro de Gênesis (Gn. 3.24)
A palavra querubim vem do termo hebraico kerub quer dizer - guardar, cobrir. Plural de kerub, querubim, significa protetores, guardadores.
a) A função desses anjos é de zelar pela santidade de Deus, para não ser profanada sua santidade, estando relacionados à guarda montada no Trono de Deus.
b) Deus colocou esses anjos para guardarem o Éden e proteger a árvore da vida (Gn. 3.24).
c) Esses anjos estavam também esculpidos em forma de estátuas no Lugar Santíssimo em cima do propiciatório (Êx. 25.17-22; Hb. 9.5).
d) Em Sl 99.1, Deus aparece sendo glorificado por esses anjos.
e) Satanás pertencia a essa classe de anjos (Ez 28.14-16).

6- Serafins - Esta palavra deriva do hb. Saraph que significa: ardente, brilhante, nobre ou afogueado. 
- Pouco se sabe a respeito desta classe, haja vista só termos uma referência bíblica (Is. 6.1-3).
- A função mais específica desse anjo é de louvar e glorificar a Deus em seu trono.


Maranata. ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoe a todos.

TERÇA-FEIRA, 9 DE NOVEMBRO DE 2010

ANGELOLOGIA - OS ANJOS E SUAS ATIVIDADES

Dando continuidade ao estudo sobre os anjos, veremos a atividade angelical em forma de tópicos. Como sempre faço referência aos estudos postados aqui, também este não tem a intenção de esgotar o assunto, é obvio, e sim de aceitar contribuições para expandir o tema abordado. Boa leitura.

Os Anjos e Suas Atividades na Bíblia:

1 - São enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação (Hb. 1.14).
Para que Deus envia o anjo?
- Para livrar (Gn. 19.15; Dn 6.20-22).
- Para dar vitória (Gn. 21.14 e 21; Js. 5.13; I Rs. 19.5-8; Mt. 4.11; Jo. 5.3,4).
- Para abrir as portas (At. 12.10; Mt. 28.2).
- Para servir aos justos na hora da morte (Lc. 16.22).

2 - Por meio dos anjos Deus envia:
- Anunciações (Lc. 1.11-20; Mt. 1.20,21).
- Advertências (Mt. 2.13)
- Instrução (Mt. 28.2-7; At .10.3,7).
- Encorajamento (At. 27.20-25)
- Revelação (Dn. 9.21-27; Ap. 1.11).
- Na hora do culto eles estão presentes, observando o comportamento dos crentes (I Tm 5.20,21).
- Juízos (Ap. 16.1).

3 - Estão envolvidos na atividade evangelística.
- Embora não evangelizem diretamente, estão também interessados nos esforços evangelísticos (At. 8.26).
- Quando um pecador se arrepende, eles fazem festa (Lc. 15.10).
- Haverá um tempo, depois do arrebatamento da Igreja, que anjos pregarão o Evangelho (Ap. 14.6).

4 – Suas Atividades na Vida e Ministério de Jesus.
              - Anunciaram o nascimento de seu precursor (Lc. 1.11,13,18,19).
              - Anunciaram Seu Nascimento (Lc. 1.26-38)
              - Um anjo apareceu a José três vezes em sonhos (Mt. 1.20,24; 2.13,19).
              - Um coral de anjos visitou os pastores de Belém (Lc. 2.9,10,13,15,21).
              - Serviram em Sua tentação (Mt. 4.11).
              - Assistiram em Sua Agonia (Lc. 22.43).
              - Estiveram presentes em Sua ressurreição (Mt. 28.2,5; Mc. 16.5,6; Lc.24.4; Jo.20.11,12). 
              - Acompanharam Sua assunção (At.1.10,11; Sl. 24.7-10).

5 – Suas Atividades na Igreja Primitiva
              - Estiveram com os discípulos na hora da assunção de Cristo (At.1. 10,11).
              - Um anjo livrou os apóstolos da prisão (At. 5.19).
              - Um anjo falou  a Filipe em Samaria (At. 8.26).
              - Um anjo apareceu a Cornélio (At.10.3, 7,22; 11.13).
              - Um anjo livrou Pedro da prisão (At.12.7-11).
              - Um anjo feriu o rei Herodes Agripa de morte (At.12.23).
              - Um anjo apareceu a Paulo durante um naufrágio (At. 27.23).

6 – Suas Atividades no Apocalipse
              - Um anjo mostrou a revelação a João (Ap.1.1; 22.16).
              - Um anjo forte bradando com forte voz (Ap. 5.2).
              - Havia muitos anjos ao redor do trono (Ap. 5.11).
              - Havia quatro anjos sobre os quatro cantos da terra (Ap. 7.1).
              - Outro anjo que tinha o selo de Deus (Ap. 7.2).
              - Outro anjo junto ao altar do incenso (Ap. 8.3-5).
              - O primeiro anjo tocou a trombeta – Uma série de sete trombetas (Ap. 8.7).
              - Um anjo voando pelo céu (Ap. 8.13).
              - O anjo do abismo (Ap. 9.11).
              - Havia quatro anjos presos junto ao Rio Eufrates (Ap. 9.14,15).
              - Um anjo forte vestido de uma nuvem (Ap. 10.1).
              - Um anjo sobre a terra e o mar (Ap. 10.5,8).
              - Um anjo com um livrinho na mão (Ap. 10.9,10).
              - Miguel e seus anjos batalham no céu (Ap. 12.7).
              - Um anjo anunciando o Evangelho Eterno (Ap. 14.6).
              - Outro anjo anunciou a queda da Babilônia (Ap. 14.8).
              - Um terceiro advertiu sobre a marca da Besta (Ap. 14.9).
              - Um anjo ordenou a outro lançar a foice sobre a terra (Ap. 14.18,19).
              - Sete anjos derramam as taças da ira de Deus sobre a terra (Ap. 15.1; 16.1).
              - Um dos sete mostrou a João a prostituta embriagada com o sangue dos santos (Ap. 17.10).
              - O anjo das águas (Ap.16.5).
              - Um anjo falou com João (Ap. 17.7).
              - Um anjo com grande poder, iluminou a terra com sua glória (Ap.18.1).
              - Um anjo forte lançou uma grande pedra no mar (Ap. 18.21).
              - Um anjo no sol (Ap. 19.7).
              - Outro com a chave do abismo e uma corrente prenderá satanás por mil anos (Ap. 20.1-3).
              - Um dos sete anjos mostrou a João a esposa do Cordeiro (Ap. 21.9).
              - O anjo que mostrou a visão a João, mediu a cidade (Ap. 21. 15-17).
              - O anjo que falava com João, rejeita adoração (Ap. 22.8,9).  

Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoe a todos. 

SEXTA-FEIRA, 5 DE NOVEMBRO DE 2010

ANGELOLOGIA: NATUREZA E CARÁTER DOS ANJOS

Anjo esculpido em pedra, segurando um relógio de sol. Catedral de Charthes, França.

Dando continuidade ao estudo sobre angelologia, vamos postar hoje artigo falando sobre a natureza dos anjos do ponto de vista bíblico:

Os anjos e sua natureza

a) Seres Criados (Sl. 33.6; 148.2,5; Ne. 9.6)
- Foi Deus quem criou os anjos (Cl. 1.16)
- Antes da criação do mundo (Jó. 38. 6,7)
- Sendo eles criaturas, recusam adoração (Ap. 19.10; 22.8,9).
- Ao homem é proibido adorá-los (Cl. 2.18). Adoração somente à Trindade.
- Os anjos eleitos são santos (Ap. 14.10; Mt. 25.31; At 10.22).

b) Seres Pessoais (Sl. 103.20,21)
- Os anjos possuem intelecto.
- Os anjos possuem sentimento.
- Os anjos são capazes de tomar decisões.

c) Seres Morais (Ef. 2.20)
- Uma vez que a Bíblia nos informa sobre anjos que pecaram, somos informados também que se trata de criaturas dotadas de capacidade moral.

d) Seres Espirituais (Hb. 1.13,14)
- Têm poder de assumir a forma de corpos humanos, a fim de tornar visível a sua presença (Gn 19. 1-3).
- Não há obstáculos físicos (paredes, portas, etc.) para sua locomoção.

e) Seres Imortais (Lc. 20.34-36).
- Temos na passagem acima, que os anjos jamais morrem.
- Em Hb 2.9, lemos que o Senhor Jesus foi feito pouco menor que os anjos “... por causa da paixão da morte”.

f) Seres Assexuados (Mt. 22.30).
- Não possuem sexo, não se casam nem se procriam segundo a sua espécie (Lc 20.34-36).
- Não se distinguem em macho ou fêmea como os homens, porque na criação dos anjos, Deus não tencionava que eles procriassem.
- Não obstante sejam assexuados, os anjos são apresentados na Bíblia com perfil varonil, isto é, de varão, semelhante a um homem.

g) Seres Numerosos (Ap. 5.11; Mt. 26.53; Lc. 2.13e14).
- A Bíblia declara que são “milhares de milhares” - “multidões dos exércitos celestiais”, “muitos milhares de anjos” (Dn. 7.10; Ap. 5.11; Hb. 12.22).
- São incontáveis na ótica humana, assim como as estrelas no céu, mas Deus os conhece cada um por seu nome (Ex. Gabriel e Miguel).
- Sua quantidade não muda nunca, porque não procriam e não morrem. Deus os criou de uma vez, pelo poder de sua palavra, “... pois mandou e logo foram criados” (Sl. 148.2-5).

h) Seres velozes (Dn. 9.21).
               - Mas não são onipresentes. Temos razões para crermos que os anjos se locomovem a uma velocidade superior à velocidade da luz,  ou seja,  300.000 km/s (Mt. 26.53).

i) Seres Poderosos (II Pe. 2.11; Sl. 103.20).
- Descem em meio ao fogo e não se queimam (Jz. 13.19,20).
- Um só anjo matou 185.000 soldados (Is. 37.35;  II Rs. 19.35).
- Um só anjo destruiu Sodoma e Gomorra (Gn. 19).
- Um só anjo removeu a pedra do sepulcro de Jesus. (Mt. 28.2)
- Todavia seus poderes são limitados por Deus. (II Sm. 24.16;  Ap. 18.21)
- São “magníficos em poder” (Sl. 103.20).
- Mais poderosos que os homens (II Pe. 2.11).

j) Seres Gloriosos (Lc. 9.26).
              - Os anjos são seres dotados de dignidade e glória sobre-humanos. Lemos em Ap. 18.1 de um anjo “que tinha grande poder e a terra foi iluminada com sua glória”.

l) Seres Inteligentes (II Sm. 14.17).
- Mas a sabedoria dos anjos é finita, somente Deus tem a onisciência.
- Os anjos não podem com sua sabedoria discernir nossos pensamentos (I Rs. 8.39).
- Só Cristo pode (Lc 6.6-8) - e a Palavra tem esse poder (Hb. 4.12).
- Os anjos não sabem o dia da volta de Jesus (Mt. 24.36), mas estão ansiosos, pois eles acompanham a Cristo no dia da sua volta para o arrebatamento (Mt. 16.27; Mc. 8.38; I Ts. 4.16).

Os anjos e seu caráter

a) Obedientes (Sl. 103.20).
- Os anjos cumprem suas obrigações com total obediência a Deus.

b) Reverentes (Ne. 9.6).
              - Em Is. 6.2 os serafins cobriam os olhos para não olharem a face de Deus.

c) Sábios (II Sm. 14.17).
              - Mas não são oniscientes e não conseguem penetrar na mente humana.  

d) Mansos (II Pe. 2.11;  Jd. 9).
- Os anjos não se contaminam com ressentimentos pessoais.

e) A Bíblia os descreve como “santos anjos” (Ap. 14.10).
              - Todavia, não são santos como é o Senhor, trata-se de santificação adquirida pela fidelidade durante o tempo da provação. Os anjos foram aperfeiçoados em santidade. Deusnão, Ele é Santo por natureza.


Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoa a todos.

DOMINGO, 31 DE OUTUBRO DE 2010

ANGELOLOGIA PARTE I - A EXISTÊNCIA DOS ANJOS

Obra: Padre Eterno. Deus rodeado de anjos. Séc. XVI, 1a. metade.



A EXISTÊNCIA DOS ANJOS


Quando estudamos as Doutrinas Bíblicas, é natural surgir uma pergunta: Dentro do Plano de Deus e sua criação, qual ou quais foram as primeiras ações de Deus?  Ou podemos questionar também: houve alguma outra ação de Deus antes que Ele criasse o mundo e o homem? (usamos a expressão “primeira” porque estamos considerando o tempo como linear).
A resposta que a Bíblia nos apresenta é que, antes que Deus criasse o mundo e todas as coisas, Ele criou alguns seres, dotados de grande inteligência, força e formosura, a quem a Bíblia chama de anjos (Jó 38.6,7). A escola de Alexandria, que adotava o modo de interpretação alegórico, via em Gn. 1.1, a criação dos céus como sendo a criação das coisas espirituais. Isto é, as criaturas espirituais teriam antecedido as corpóreas e físicas. Assim, quando diz “no princípio criou Deus os céus”, está se referindo aos seres celestiais, e quando diz “e a terra”, está fazendo referência ao mundo físico.
Nosso interesse em estudar a Doutrina dos Anjos é porque estamos interessados em conhecer toda a revelação que Deus nos concedeu através de sua Palavra.
A existência dos anjos na Bíblia pode ser constatada em ambos os testamentos. Eles aparecem como “espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação” (Hb. 1.14).

PODEMOS ESCLARECER A ORDEM DA CRIAÇÃO DE TODAS AS COISAS DA SEGUINTE MANEIRA:

- ANTES DE TODAS AS COISAS – DEUS, O CRIADOR;
(PERFEITO EM SI MESMO, CONTEMPLAVA-SE A SI MESMO, MAS CHEIO DE AMOR, QUIS ESTENDER SEU AMOR, JUSTIÇA, SANTIDADE E PERFEIÇÃO PARA OUTRAS CRIATURAS).

- PRIMEIRO: O MUNDO ESPIRITUAL – OS SERES CELESTES EM SUAS ORDENSPRÉ-ESTABELECIDAS POR DEUS;

- SEGUNDO: O MUNDO FÍSICO – O UNIVERSO, A TERRA, OS ASTROS, IGUALMENTE PRÉ-ESTABELECIDOS POR DEUS;

- TERCEIRO: A VIDA SOBRE A TERRA – OS SERES VIVOS, (INCLUSIVE, O HOMEM É UM MISTO DE COISAS ESPIRITUAIS, INVISÍVEIS, INCORPÓREAS COM COISAS FÍSICAS, MATERIAIS E CORPÓREAS).


Anjos ( hb.mal’ak  -  gr. angellos ).

               A palavra “anjo” significa “mensageiro”. O termo anjo no sentido literal sugere a idéia de ofício – ofício de mensageiro – e não da natureza do mensageiro. Trata-se de uma palavra usada não apenas para os seres angelicais, mas também para os mensageiros humanos (I Re. 19.2; Lc. 9.52). Foi Jerônimo, na tradução da Vulgata Latina, quem primeiro fez a diferença entre mensageiros humanos e celestiais, usando a expressão “nuntios” para mensageiros humanos. Porém, seu uso, quando se tratando desses seres, indica que eles são enviados sempre como mensageiros, ou, como que designados a cumprir determinada missão.

- É uma verdade revelada na Bíblia (Jo. 1.51);
- A existência dos anjos é ensinada em pelo menos 34 livros da Bíblia;
- A expressão “anjo” (mensageiro) ocorre cerca de 275 vezes nas Escrituras;
- Cristo falou claramente sobre a existência dos anjos (Mt. 18.10; 26.53).

Maranata. Ora Vem Senhor Jesus!
Deus abençoe a todos.